sábado, 17 de outubro de 2009

Denúncia ao Ministério Público do Trabalho sobre trabalho de Caixa de Supermercado

Ontem, dia 16 de outubro de 2009 fiz uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho da 4ª Região sobre o que entendi ser um abuso de uma rede de Supermercados em Porto Alegre ao manter, invariavelmente, a esteiras dos caixas inoperantes.
Estou de licença médica e por recomendação também médica preciso caminhar bastante, o máximo que eu puder, para que minha recuperação tenha pleno sucesso.
Assim, venho como andarilho pelas ruas e quase que vou ao Supermercado do outro lado da rua onde moro pegar uma coisa por vez.
Já tinha conhecimento do péssimo atendimento. Caixas sempre lotadas, problemas que sempre interrompem o atendimento e esteiras que casualmente na minha vez de ser atendido nunca funcionavam.
Achava aquilo estranho, pois em outro Supermercado mais distante, que frenquento mais, existem empacotadores, as esteiras sempre funcionam e as caixas não podem erguer pacotes pesados, ou seja, quando necessário, vem o fiscal de caixa para passar sacos de arroz, caixas de leite e assemelhados.
Ontem, novamente me dirigi ao supermercado e novamente estive usando um Caixa cuja esteira não funcionava.
Falei para a Moça da Caixa que iria fazer uma denúncia ao Ministério do Trabalho, pois era impossível que sempre estivessem estragadas.
Saí e observei que nenhuma caixa no entorno tinha as esteiras rolantes funcionando, o que suponho estarem desligadas ou se estragaram não receberam a devida manutenção.
Sabemos que os esforços repetitivos comuns no trabalho em caixas de supermercado causam graves danos à saúde. As LER/DORT e agora AMERT - Afecções Musculoesqueléticas Relacionadas ao Trabalho, são próprias desse tipo de atividade que realizado por mulheres, no caso jovens, provocam graves danos e até incapacitações permanentes com mais frequênica que aos homens em mesma condição de trabalho.
No caso em tela, além de digitarem códigos, movimentarem os braços segurando pesos no ar para a leitura do código de barras, ajudam no empacotamento para que o atendimento seja mais rápido, além de regularem o uso das sacolas plásticas estão agora arrastando os produtos na esteira que não funciona, alguns pesados, outros leves, mas com inflexão do tronco, membros, coluna, com clara e desnecessária sobrecarga ao um trabalhador que pela natureza de seu ofício já tem sobrecarga demasiada.

Se você quiser fazer uma denúncia ao Ministperio Público do Trabalho da 4ª Região ( RS/SC/PR) entre no site da PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO e vá em denúncias ou clique direto aqui DENÚNCIAS .


Um comentário:

  1. Gerson,
    devo parabenizá-lo por sua atitude. Bravo. A maioria dos trabalhadores sequer tem conhecimento para agir; quanto tem, falta-lhe a coragem necessário por medo de perder o emprego. A denuncia de terceiro, nesse caso, é hiper importante. Parabens pelo seu gesto. Um abraço. TerezinhaSouto.

    ResponderExcluir

Live Vídeo

AVISOS e DICAS

====================================================
Envie matérias para o Blog do Gerson Rocha: blog.gersonrocha@gmail.com
Questões Jurídicas: adv.gersonrocha@gmail.com
====================================================
VEJAM NOVOS ARQUIVOS PARA DOWNLOAD:

ASSISTAM AS MINI AULAS:
1. Ato Inseguro - Prof. Gerson Rocha
2. Mapa de Riscos - Prof. Gerson Rocha


=====================================================
POSTAGENS
=====================================================